Diário de um fumador

Apenas o desespero na forma de palavras

21 de março de 2008

De regresso

Regresso à cores neutras - as cores da minha vida. O luto pelo respirar saudável de quem largou um vício por razões que deixaram, aos poucos, de fazer sentido.
A saúde?... A ausência de um sorriso torna-nos muito mais debilitados. Não sei se já o escrevi aqui, mas sinto-me profundamente triste sem o prazer de travar na garganta o fumo de um cigarro.
O dinheiro?... Já nem sei para que quero uns tostões a mais na carteira, se nem prazer tenho a gastá-lo. Janto fora com mais frequência, é verdade; porém, tenho uma playstation que me isola do mundo exterior (estará sol lá fora?); tenho uma gaita de foles, que emprestei a um amigo que, certamente, lhe dará mais uso que eu. Mas não enriqueci. Penso até estar mais pobre, de espírito. E nessas coisas, não há euros que o valham.
Não voltei a fumar desde a madrugada de ano novo.
Assim por alto... já lá vão dois meses e meio. Bem esticadinho, quase três...
Aos poucos, deixei de sair à noite, deixei de estar com os amigos, deixei de ter aquelas conversas com aquelas pessoas naquelas horas... vocês sabem, não sabem? Sem sentido nenhum, sem importância nenhuma, mas que dão sentido e importância à nossa vida.
Aos poucos, deixei de escrever para o blog e a minha vida, sem eu dar conta, aos poucos e poucos, começou a ter... vida própria.
Sinto-me um estranho no meu próprio corpo.
Regresso às palavras, regresso a vocês, numa tentativa de me reencontrar com este corpo que transporto comigo. Um corpo que tenta ser saudável num espírito doente.

3 comentários:

Xana disse...

Bem vindo!!!!

Ainda bem que continuas sem fumar!
Parabéns pelos 81 dias!!
Beijinhos

Anónimo disse...

Esta é a primeira vez que estou a blogar. Nunca se tinha proporcionado. Hoje, com o mau tempo neste cantinho das Berlengas decidi navegar virtualmente pois lá forta o mar está amuito agitado.
Meu Caro, com o tempo vai deixar de fazer contagens. Sejamos racionais. As coisas que não interessam, chegado o momento, resolvem-se de uma vez: acabou e ponto final. O problema é mesmo detectar o momento.
Haja razão. Esqueça o cigarro e embriague-se no verdadeiro prazer, qualquer que ele seja.
Sinto que está na fase x. Todos passamos por ela. Eu próprio tive que tomar a opção de vir dirigir a Diocese das Berlengas. A sua vida vai mudar. Chegou a altura de romper com o que não deseja e vestir a sua nova roupagem.Ela já está pronta, como sabe. O essencial é que o corpo aguente. Corpo são, aguenta qualquer mente. Veja o meu exemplo. Até eu me consigo aturar a mim próprio e reconhecço que por vezes, não é nada fácil.
Faca uma análise SWOT e implemente a sua estratégia. Já agora, qual é a sua missão? E a visão? E os valores?
Cumprimentos
O Bispo das Berlengas

monica disse...

durante o tempo que esteve ausente eu pensava para mim própria? será que o prof já fumou? será que o prof já anda mais animado? será que sorriso já é uma constante da sua vida?
neste post o setor quase que deu as respostas as minhas perguntas...
fico contente por continuar a somar vitorias dia após dia...
mas por outro...custa tanto ler o prof dizer que anda triste com um espírito doente...estas palavras vindas de si deixam-me profundamente triste, pois para mim RUI FONTE era sinonimo de animação.
espero sinceramente que a sua vida volte ao normal( mas sem cigarros) e que seja muito feliz, e que o seu espírito melhore. E que o sorriso seja uma constante na sua vida.
acredite que apesar da distancia o setor continua no meu olhar...lol
levo-o consigo no meu olhar
levo-o consigo na minha mão
essa lágrima a palpitar no coração
parabens pela magnifica pessoa que é.

Reduzido a cinza

A minha foto
Canas de Senhorim, Viseu, Portugal
À espera de palavras...