Diário de um fumador

Apenas o desespero na forma de palavras

27 de janeiro de 2008

Quem é que manda, os cigarros ou eu?

Hoje tenho que partilhar na íntegra o mail que recebi do help-eu.

Mais uma vez, acertou em cheio!



O seu cérebro está a pregar-lhe partidas.
Não procure uma razão para recomeçar a fumar.


Olá Rui,Como está? Hoje vamos falar das emoções ou pensamentos que poderão ter-lhe passado pela cabeça nos últimos tempos.Já deu por si a pensar que ser fumador tem as suas vantagens? Ou que um cigarro, só um ou uma passa, afinal não faz mal nenhum? Ou que a vida às vezes corria melhor quando fumava…? Ou que não foi um combate justo? Ou que fumar um cigarro seria um bom desafio à sua força de vontade? E por aí fora… (se não for este o caso, mais uma vez – tanto melhor!).

É possível que já lhe tenham ocorrido pensamentos deste tipo, cujo objectivo é apenas um – justificar o facto de voltar a fumar. É como se o seu cérebro estivesse a pregar-lhe partidas com um único objectivo – levá-lo a aceitar gradualmente a ideia de recomeçar.É aqui que vai ter de ser mais esperto do que o seu cérebro (se é que é possível…) e utilizar tudo aquilo que já conseguiu até hoje – por exemplo, releia a sua lista de motivos ou a lista dos benefícios em deixar de fumar ou fale com a pessoa que o está a apoiar, etc.

O conselho do dia:
Não se deixe enganar pelo seu próprio cérebro.Seria o cúmulo, não?


2 comentários:

sonsdebruniel disse...

Estamos chegando là.
Começo este comentário com a frase acima somente para recordar a expressão "Força!!!!"
Achei deveras interessante o mail recebido pelo Help -eu, tais como expressões "(se é que é possível)", "lista...". Todavia pergunto: será que ajudou de alguma forma reler (e digo reler) tudo o que já sabes? Sómente consegui vislumbrar a patente força de vontade na tua última frase, o que me leva a acreditar que expressamente és mais inteligente (e não esperto) que todos os sinais enviados pelo teu cérebro (se é que podemos dividir entidades...).
AB

Rui disse...

Olá Sonsdebruniel!
de facto, também me sinto capaz de vencer as minhas próprias vontades.
Mas o perigo de me trair a mim próprio existe e uns alertas a lembrar isso mesmo nunca são demais.
abraço

Reduzido a cinza

A minha foto
Canas de Senhorim, Viseu, Portugal
À espera de palavras...