Diário de um fumador

Apenas o desespero na forma de palavras

2 de janeiro de 2008

10 horas

10 horas sem fumar.

Acordei às 14,27h. São agora 00h28m. 10 horas que, a meia hora o cigarro, valeriam um maço.

Que eternidade!... Foi a tarde e a noite mais longas da minha vida e assim promete ser a madrugada. A não ser que recorra ao Alprazolam, que me parece uma óptima opção. 1 mg não faria mal nenhum. É uma saída a ponderar.

Antes disso, apenas um desabafo.
Não havia a porcaria de um hipermercado aberto hoje. Filhos da mãe. Safei-me graças a umas pastilhas tridente e a uns mentos de fruta que comprei numa pastelaria. E também dei cabo de uns amendoins com mel que estavam cá por casa. Ainda por cima, hoje, que tive uma jantarada em casa de um amigo, para esvaziar o frigorífico e a arca do que sobrou da passagem d'ano.
Para aqueles que sabem a dificuldade de não fumar depois do café, informo que bebi dois cafés. Um em casa, depois de almoçar e outro à tarde, antes de me enfrascar com mentos e pastilhas de mentol e baunilha (com recheio - são as melhores).

Agora, tenho várias opções:
1. Tirar o adesivo e ver tv até adormecer
2. Não tirar o adesivo e ver tv até adormecer
3. Tirar o adesivo, tomar Alprazolam e ver tv (se conseguir) até adormecer
4. Tirar o adesivo, fumar um cigarro e ver tv a lamentar-me, sem conseguir adormecer

Não vou pedir para enviar comentários a dizer que opção tomar. Porque a decisão tem de ser tomada já. Vou pensar e amanhã já vos digo.
Até breve.

2 comentários:

Carolina disse...

Caro Rui.
Espero que a tua opção tenha sido a melhor.
Dou bastante valor a esta tua vontade de deixares de fumar, sei o quanto custa, mas se calhar não o suficiente...
Conta comigo!.. Espero que tenhas um ano de 2008 fantástico.

Beijinhos,
Carolina Pinto

fumador disse...

Obrigado Carolina!
Gostei de saber que posso contar contigo.
Beijinho

Reduzido a cinza

A minha foto
Canas de Senhorim, Viseu, Portugal
À espera de palavras...