Diário de um fumador

Apenas o desespero na forma de palavras

6 de julho de 2008

Voltei a não fumar

O que nos leva a acender um cigarro?
A falta de controlo ou a certeza desse mesmo?
Acendi um cigarro e outro e outro... Porquê? Porque não consegui controlar a vontade? Porque ela me derrotou? Ou porque tenho noção desse mesmo controlo? Porque sei que acender um cigarro já não é o mesmo que acender o rastilho de um vício que rebentou comigo?

Deixei de escrever porque perdi a fé nas palavras. Terei-a ganho nos actos?

Os comentários ao post anterior sensibilizaram-me. Aliás, emocionaram-me.
Volto sem promessas de que fique por aqui.
Volto sem certezas. Sem aquela convicção com que deixei de fumar.

Talvez seja este o ponto de partida para novas partilhas.
Senti, confesso, falta da escrita. Senti falta de ser lido, ser descoberto.

Aqui estou. Para o que der e fumar!

9 comentários:

Anónimo disse...

Ainda bem que voltaste!

Bem vindo ;)

Helena disse...

Gosto de o ler e sempre acompanhei esta seu espaço...

Eu entendo-o muito bem...


Beijinho :)

E ainda bem que voltou fumante ou não... -:)

monica disse...

obrigada por ter satisfeito o nosso pedido...do volta volta.lol
fico contente por ter voltado a escrever...fumar um ou mais cigarros não quer dizer que vai fazer disso um habito do dia a dia..
ca estarei para ler os seus posts sejam eles com noticias positivas ou negativas...
beijinhos com saudades

Sonsdebruniel disse...

Olà.
"Não existem dúvidas sem anteriores quase certezas...".
Agora somente cabe a ti quais os caminhos a serem seguidos.
AB

Segunda disse...

isso quer dizer que já temos bucha outra vez?
Ah Bom!

Até Segunda...ou então não!

Júlia disse...

Não compreendo o que queres dizer com "perdi a fé nas palavras". Há por aí muito quem as use de forma gratuita... é verdade; mas isso são os outros, não é?

O ser humano não é perfeito, daí a possibilidade de errar. Mas o teu erro não foi assim tão imperdoável!!! Imperdoável, seria se não voltasses! :)
Continua a ser o que tens sido.
Gostei de te ver por cá outra vez.

Beijinhos.

Anónimo disse...

Mesmo sabendo que não houve fumo, é bom ler novamente as palavras, sem fé, deste blog.

Anónimo disse...

Houve fumo ou não houve fumo? Eis a questão!

Não acho que as suas palavras, sejam palavras sem fé.

Rui disse...

Há sempre fumo...
Apesar de isso, ao contrário do provérbio, não querer dizer que há fogo :)
Obrigado pelo incondicional apoio!
Haverá bucha, sim. Em nova data a agendar!

Reduzido a cinza

A minha foto
Canas de Senhorim, Viseu, Portugal
À espera de palavras...