Diário de um fumador

Apenas o desespero na forma de palavras

2 de junho de 2008

Restos

Tenho ainda na gaveta mortalhas, tabaco de enrolar, filtros e a máquina para enrolar os cigarros.
Restos,apenas isso, de um vício de onze anos.
A noite passada ofereci um isqueiro e dei mortalhas a um grande amigo meu.
Amanhã, vou levar o tabaco de enrolar e a máquina para uma pessoa amiga, assim como os filtros.
Espero jamais sentir a falta disso.

5 comentários:

Júlia disse...

Hoje dediquei um pouco do meu tempo a ler o teu blog com mais calma.
Pareces ser uma pessoa muito querida pelos amigos e alunos, o que comprova que eu não costumo errar na avaliação do que leio. :)
Sabes, não fumo e nunca fumei, mas isso não significa que não tenha que ter lutado com os meus próprios demónios, e sei por experiência própria como é difícil resitir à tentação. Por isso, aqui fica a minha admiração por ti. Fazes bem em ver-te livre desses objectos do passado.

Sonsdebruniel disse...

OlÀ,
Concordo com Júlia.
Todavia, livrar por livrar, poderias ter feito um "enterro" aos objectos. Porque depois um dia irás dizer "olha, esse não foi o tal isqueiro que te dei?" (lembranças). Se o objectivo foi esse mesmo, para relembrar e não recomeçar, então tá bem...
AB

Júlia disse...

hahaha
A Sons de Bruniel tem razão!
Aliás pensei com os meus botões, quando estava a ler o teu post, que embora o amigo te fique grato pelo presente, não deixas de o incentivar a fazer algo, que tu mesmo já chegaste à conclusão, só é prejudicial...

desculpa...

Rui disse...

:)

Carla disse...

as mortalhas davam-me jeito xD

*

Reduzido a cinza

A minha foto
Canas de Senhorim, Viseu, Portugal
À espera de palavras...