Diário de um fumador

Apenas o desespero na forma de palavras

20 de janeiro de 2008

Se as paredes falassem...

... diriam que estão aliviadas por não respirarem o meu fumo. Isto, se também respirassem, claro.

Vou contar algo que irá surpreender alguns leitores, fumadores e não fumadores. Eu fumava no quarto onde durmo. O hábito começou nos tempos de faculdade e estendeu-se até ao final do ano de 2007. Aliás, chegava ao cúmulo de ser sempre a penúltima coisa a fazer, imediatamente antes de ir à casa-de-banho, para depois me deitar. Cheguei, muitas vezes, a levantar-me (quando não conseguia adormecer) para acender um cigarro, e depois tentar adormecer novamente.
No verão, ainda ia à varanda matar o vício, mas, no inverno, fumava cá dentro, com as janelas e a porta fechadas. Quem entrasse no quarto era invadido por uma nuvem de fumo agoniante.
Recordo isso porque hoje passei quase o dia inteiro dentro do meu quarto, a corrigir testes e a preparar as aulas para a semana que se avizinha...
Porque o dia está a terminar, perguntei-me com que ambiente estaria este quarto se eu ainda fumasse. Como estou a trabalhar, fumaria, quase de certeza, mais que um maço. Este quarto estaria impregnado do fumo de mais de vinte cigarros... Cenário desagradável, certamente.
Mais uma vantagem de não fumar. Quando fumava era eu o mais prejudicado com o meu próprio fumo. Era fumador activo e passivo ao mesmo tempo, entendem? Desesperante, de facto. E dá para imaginar o cheiro não dá? Chego até a ter vergonha...

3 comentários:

sonsdebruniel disse...

Obrigada por este post. Ao lê-lo consegui recordar o rasto de odores que ainda circulam nos espaços públicos.
eu sou Fumadora (isto para eclarecimento de dúvidas. Todavia apoio a proibição de fumo em determinados locais públicos, pois muitas vezes tive aquele comentário desdenhoso " espero que o meu almoço não esteja a perturbar o seu fumo". Agora, sempre que entro num destes locais sinto aquele cheiro característico empregne nas paredes.....
Por isso a vergonha é aquela que devemos ter por actos erradamente cometidos, não por pensamentos genuínos.
AB

monica disse...

não deve ter vergonha do cheiro que o seu quarto tinha. deve ter sim orgulho por ter tomado medidas para que esse cheiro já não exista.
fico contente de nestes ultimos dias tenha substituido o nome fumador pelo seu verdadeiro nome.
Boa semana.
Força

André jesus disse...

lol

Reduzido a cinza

A minha foto
Canas de Senhorim, Viseu, Portugal
À espera de palavras...