Diário de um fumador

Apenas o desespero na forma de palavras

22 de janeiro de 2008

A razão de ser deste blog...

Hoje ao almoço perguntaram-me a razão de ser do meu blog.
Respondi que me sentia melhor a partilhar a luta do que se a fechasse sobre mim. Aliás, já contei por aqui que me custava menos ultrapassar a vontade de fumar se falasse sobre isso.
Esse foi um dos grandes motivos. Outros há, como por exemplo o apoio que recebo de vós.
Mas só me apercebi da verdadeira razão de ser deste blog depois de folhear um livro, onde o autor contava a angústia de, a partir de determinado momento, não ser mais capaz de escrever.
Confesso que era um dos meus maiores receios.
Como poderia eu voltar à escrita, sem a companhia dos cigarros? sem o alento da nicotina? sem o fumo azulado a sombrear-me?
Seria capaz de escrever sem acender um cigarro?
Construí este blog para o provar, para me obrigar a reflectir. Mesmo que a fonte de inspiração fosse a falta de inspiração...
Obviamente, acredito mais no método. Tenho mais fé na transpiração que na inspiração. E este blog resiste para comprovar isso mesmo.
Mas a escrita vai muito para além disso. É muito mais que um depósito de palavras soltas. É um quadro onde se misturam as diferentes cores do mesmo sentimento: solidão.
Sinto-me só a escrever e apetece-me sempre fumar quando me sinto só.
Daí que, independentemente do que escrevo, diariamente, questiono-me.
Serei capaz de escrever sem acender um cigarro?
Curiosamente, aceitei um desafio há dias atrás. Terei até 08 de Fevereiro para escrever uma comunicação para o I Congresso Internacional de Animação Sociocultural.
Por enquanto, as ideias começam a surgir ainda no pensamento, despegadas, confusas. Contudo, mais cedo ou mais tarde terei de me sentar e passar as ideias para o computador. E aí começará o verdadeiro desafio. E mais uma vez questiono-me.
Serei capaz de escrever sem acender um cigarro?

3 comentários:

Sara Santos - Psicologia disse...

E por falar em desespero...
Dou comigo a pensar que, por vezes, parece que o mundo desaba sobre nós e nos reduz a pó, a nada! E mesmo nestas alturas, mesmo quando parece impossível, surge a luzinha ao fundo do túnel!Não, não é o comboio a vir na nossa direcção :), mas a fonte de inspiração que nos faltava! Muitas vezes é a voz da nossa consciência a dizer-nos que ainda não acabou, que há alternativas, que dias melhores virão!
Para ti também! Continua!!!

Um abraço...

Rui disse...

Sara,
Obrigado pelas palavras. É essa a inspiração que procuro.
Beijinho

monica disse...

e ainda bem que criou este blog, porque assim posso acompnhar as suas vitorias dia apos dia.
adoro ler as coisas que escreve e cada dia que passa tenho mais admiração em si, já é um vencedor.
acredito que vai conseguir esvrever sem ajuda do cigarro, porque o sua vonteda, força, inspiração é superior a um cigarro.
bjs

Reduzido a cinza

A minha foto
Canas de Senhorim, Viseu, Portugal
À espera de palavras...